Ir para o contedo

Estamos cercados por alimentos ricos em sal. Vamos começar a prestar atenção nisso?!? (Foto: Divulgação - Site stock.xchng)

Terminou no sábado (13/8) o 19º Congresso Brasileiro de Hipertensão, realizado no Guarujá (SP). O evento mostrou como a nutrição é uma grande aliada na redução dos fatores de risco para o desenvolvimento da hipertensão.

Entre os cuidados que não devemos deixar de ter, estão a diminuição do consumo de sal e o aumento da ingestão de alimentos ricos em potássio – esta última recomendação é para quem não tem problemas renais.

Para a nutricionista Glauce Lamoglie de Carvalho, as modificações do estilo de vida retardam o desenvolvimento da hipertensão arterial em pré-hipertensos e impactam diretamente nos fatores de risco relacionados ao agravo da doença.

Para que a mudança tenha efeito, é preciso diminuir o peso corporal e a ingestão de sal e de bebidas alcoólicas, além de melhorar a ingestão de alimentos ricos em potássio e fazer da prática de exercícios físicos um hábito regular.

Outra indicação é prestar atenção nos rótulos e nas embalagens dos alimentos, já que o brasileiro consome em média 12,3 gramas de sal por dia, enquanto que a recomendação de sal diária é de cinco gramas.

* Confira: 1 grama de sal de cozinha equivale a…

…1/2 gomo de lingüiça calabresa

…1 e 1/2 unidade de salsicha

…4 fatias finas de mortadela

…5 fatias finas de queijo prato

…1 e 1/2 unidade de sardinha em lata

…4 unidades de azeitonas

…1 unidade de pão francês

…1/4 de tablete de caldo concentrado

…1 colher de sopa de molho de soja

* Dicas para diminuir o consumo de sal:

- Não colocar saleiro sobre a mesa

- Diminuir a quantidade de sal ao cozinhar

- Evitar alimentos processados que contenham sal e optar por alimentos in natura

- Utilizar alimentos com sabores ácidos

- Variar o tempero de saladas usando azeite aromatizado com ervas

- Variar as saladas acrescentando pedaços de frutas, sementes secas e oleaginosas

- Utilizar temperos naturais para realçar o sabor das receitas: cheiro verde, cominho, curry, gengibre, gergelim, louro, manjericão, noz-moscada e orégano

“Os pacientes com hipertensão resistente obtêm benefícios substanciais com a restrição intensiva de sal na dieta”, diz o pesquisador clínico Eduardo Pimenta, do Centro de Pesquisa em Hipertensão da Universidade de Queensland (Austrália).

Vamos variar as saladas acrescentando pedaços de frutas, sementes secas e oleaginosas (Foto: Divulgação - Site stock.xchng)

Tão importante quanto reduzir o sal é aumentar o consumo de potássio, de dois a quatro gramas por dia, caso a pessoa não apresente nenhum problema renal.

* Como identificar o potássio nos alimentos: 

- Grãos e cereais: feijão, soja crua, grão-de-bico, ervilha, lentilha, aveia, pão de glúten

- Hortaliças: beterraba, cenoura, almeirão, chicória, couve de bruxelas, couve manteiga, rabanete, espinafre

- Tubérculos: batata, mandioca, cará, batata-doce

- Frutas: abacaxi, abacate, banana, maracujá

- Outros: amêndoas, avelãs, amendoim, merluza, peru, vitela

Saiba mais no site da Sociedade Brasileira de Hipertensão: www.sbh.org.br

E vamos prestar mais atenção no que está no nosso prato, combinado?!? ;)

* Com informações da Advice Comunicação Corporativa

6 Comentários

Assine os feeds dos comentários comments rss ou deixe um trackback

  1. [...] Menos sal e mais potássio no prato: equação ajuda a conter a pressão alta [...]

  2. Vitela é um “alimento” que jamais deveria ser incentivado. É a coisa mais cruel já produzida, deve ficar páreo com o foie gras. Temos tanta opção de alimentos, pra que incentivar o uso desses que são produzidos à base de tortura e dor? Seus textos são ótimos, mas não consigo me calar quando vejo qualquer recomendação a esses que eu mencionei. Perdoe-me se fui ofensiva. Abraços! Glauce

  3. Glauce, tudo o que é publicado no blog é apurado com critério. No caso da vitela como alimento que pode oferecer potássio, a recomendação não vem da minha cabeça, e sim da Sociedade Brasileira de Hipertensão.
    Atenciosamente,
    Cinthya Leite

  4. Oi, Cinthya!

    Sei que a vitela tem valor nutricional, apesar de ser pobre em ferro, mas acho que cabe a cada um avaliar se é realmente necessário se alimentar de algo que é produzido através de tortura. É realmente cruel a produção da vitela, no entanto, é regulamentada e explorada no Brasil, mesmo não sendo para consumo do brasileiro, que fica com as carnes mais baratas.
    Então, mesmo que a SBH recomende, não quer dizer que não podemos avaliar ou criticar. Você divulgou porque concordou com as recomendações, é opinião pessoal sua e deve ser respeitada. Não descredito em nenhum momento seu blog, que tem um conteúdo muito bom, parabéns.

    Minha intenção foi expor minha opinião para quem ler também poder avaliar o consumo dessa carne.
    Obrigada pela resposta. Abraços!

  5. Oi, Glauce.
    Eu só quis frisar que não se trata de um conceito, de uma recomendação produzida por mim. Concordo com as sugestões da SBH porque se trata de uma associação séria, do mesmo jeito que todas as opiniões aqui no blog também são respeitadas e nunca censuradas. Todo ponto de vista é sempre muito válido. As discussões engrandecem o nosso conhecimento. Que bom que você gosta do blog, obrigada! Visite e escreva sempre.
    Um abraço,
    Cinthya Leite

  6. [...] [...]

Todas as informaes apresentadas neste blog esto disponveis com objetivo exclusivamente educacional. Dessa maneira, nosso contedo no pretende substituir consultas mdicas, realizao de exames e tratamentos mdicos. Sempre que tiver uma dvida, no deixe de conversar com o seu mdico, que o profissional mais adequado para esclarecer todas as suas perguntas. E nunca se esquea de que o direito informao correta essencial para a preveno e o sucesso do tratamento. E mais: o contedo editorial do Casa Saudvel no apresenta relaes comerciais com possveis anunciantes e patrocinadores do blog.