Ir para o contedo

Estresse vivenciado nas metrópoles pode prejudicar saúde do coração

12 de agosto de 2013 | postado por Cinthya Leite

Tensão causada pelo trânsito, pela violência e pelo excesso de trabalho pode comprometer a saúde cardíaca

Nos grandes centros urbanos, tensão causada pelo trânsito, pela violência e pelo excesso de trabalho pode causar aumento da pressão arterial e liberação de hormônios que podem comprometer a saúde cardíaca. É o que garante a cardiologista Magaly Arrais, do Hospital do Coração (HCor), em São Paulo.

Apesar de muitas pessoas alegarem terem se acostumado com o ritmo das metrópoles, boa parte da população passa por um desgaste físico e emocional ao enfrentar o dia a dia nas cidades.

A médica explica que, em função do estado de tensão e alerta contínuo do corpo, o cérebro sofre alterações que levam a uma liberação de altos níveis de hormônios que geram instabilidade no organismo. E isso pode provocar espasmos na artéria coronária que irriga o coração, além de lesionar células cardíacas, devido ao aumento dos radicais livres.

“O excesso de hormônios como o cortisol e a adrenalina, por exemplo, aumenta os batimentos cardíacos e elevam a pressão arterial”, explica Magaly. Por isso, pessoas predispostas a problemas cardíacos ou com problemas cardiovasculares devem ficar atentas diante dos altos níveis de tensão e ansiedade.

Para enfrentar a rotina urbana de maneira saudável, é preciso não abrir mão de cuidados. A psicóloga Priscila Regina Torres Bueno, também do HCor, frisa que os sintomas que indicam níveis mais altos de estresse podem aparecer em estágios. Primeiramente há a fase de alerta, que pode causar tensão ou dores musculares, irritabilidade, sensibilidade emocional, ansiedade e inquietação.

O estágio seguinte é o da resistência ao fator que gera o estresse, caracterizado por cansaço e perda de memória. Segundo Priscilla, quando o organismo não consegue se adaptar ao fato que causa o estresse, o indivíduo entra na fase da exaustão. “Nesse estágio, pode haver dificuldade de concentração, perda de memória, falta de interesse sexual, queda de cabelo, perda ou ganho de peso, desânimo, questionamentos pessoais e profissionais”, diz a psicóloga. Também podem aparecer sintomas de ansiedade, da síndrome do pânico e da depressão.

Para combater todos esses problemas, a melhor opção ainda é relaxar. É fundamental desfrutar de momentos que oferecem prazer e relaxamento, como a prática de exercícios físicos e o cultivo de relacionamentos saudáveis, capazes de funcionar como suporte emocional.

Além disso, é importante reconhecer os próprios sentimentos e os sintomas de estresse, como também procurar o apoio de pessoas próximas ou de especialistas que auxiliem a enfrentar o problema.

Faculdade dos Guararapes lança primeiro hospital simulado de Pernambuco

12 de agosto de 2013 | postado por Cinthya Leite

Hospital simulado conta com bonecos robotizados que parecem com o corpo humano e simulam situações como convulsões, contrações e sangramentos (Foto: Divulgação)

A Faculdade dos Guararapes (FG), integrante da rede internacional de universidades Laureate, lança o primeiro Hospital Simulado de Pernambuco. Trata-se de um ambiente onde os alunos poderão testar procedimentos e simular práticas de atendimento.

“O objetivo desse espaço é capacitar de maneira moderna e eficaz os futuros profissionais da área de saúde, além de fortalecer a aprendizagem e consolidar teoria e prática”, afirma a diretora da Escola de Saúde da FG, Letícia Scorsi.

O hospital simulado funcionará no Centro de Simulação da FG, no próprio campus, e contemplará modernas tecnologias e estratégias de ensino.

O projeto tem execução em duas etapas: a primeira já foi concluída e conta com quatro ambientes de prática (dois laboratórios de estrutura e função, um laboratório para o treinamento de habilidades específicas para cada curso e uma enfermaria).

No próximo ano, será finalizada a segunda fase, com entrega de dois apartamentos de alta complexidade, que simularão quartos de hospital e consultórios de atendimento, além dos laboratórios multidisciplinares para aulas de várias disciplinas.

De acordo com Letícia Scorsi, a simulação permite ao aluno treinar várias vezes os procedimentos e desenvolver habilidades necessárias à profissão, num ambiente em que se pode errar, acertar e reavaliar as práticas. Entre os diferenciais da estrutura, estão bonecos robotizados que parecem com o corpo humano e simulam situações como convulsões, contrações e sangramentos. “O estudante deixa de ser apenas um receptor do conteúdo e passa a interagir mais, com maior troca de experiências e conhecimento entre professor e aluno”, salienta Letícia.

Outro diferencial da iniciativa é incentivar o trabalho em grupo. Ou seja, profissionais de diversas áreas da saúde atuam em conjunto para um mesmo fim, assim como na vida real.

Vale frisar que o lançamento do hospital faz parte da divulgação do vestibular exclusivo para os cursos de enfermagem, nutrição, educação física, ciências biológicas, fisioterapia e estética. As inscrições estão abertas até o dia 26 deste mês. As provas serão realizadas no dia 27.

SAIBA MAIS

O hospital simulado segue padrões internacionais da Rede Laureate, que conta com um modelo pedagógico específico para o ensino na saúde. Unidades como essa da FG existem em diversas instituições pelo mundo e contam com a mesma infraestrutura. No Brasil, há unidades da rede em São Paulo, Salvador, Natal e Mossoró. A próxima será em João Pessoa.

Cartaz da Sociedade Brasileira de Cardiologia chama atenção para prevenção na infância

A adoção de cuidados com relação aos níveis de colesterol não deve ser exclusiva para adultos. Afinal, já se sabe que é importante começar a seguir hábitos de vida saudáveis (alimentação balanceada e prática de atividades físicas) na infância.

Esse é o recado que a Sociedade Brasileira de Cardiologia quer transmitir à população brasileira amanhã (8/8), quando serão realizadas no País várias ações alusivas ao Dia Nacional de Controle do Colesterol.

Um percentual estimula a entidade a voltar a atenção para as crianças e os adolescentes: 20% deles, na faixa etária entre 2 a 19 anos, possuem níveis elevados de colesterol no sangue.

O estilo de vida inadequado, como o sedentarismo e os maus hábitos alimentares, expõe precocemente a população infantojuvenil a fatores de risco que facilmente poderiam ser evitados com a prática de atividade física regular e consumo de alimentos saudáveis.

Os especialistas se preocupam também com o fato de que crianças com taxas elevadas de colesterol correm risco de sofrer um infarto até 10 anos mais cedo na vida adulta. Assim, a SBC orienta que os pais sempre devem conversar abertamente com os filhos para explicar a importância de se adotar um estilo de vida saudável desde os primeiros anos de vida. E mais: todos os membros da família devem estar envolvidos nesse processo com atitudes que funcionam como bons exemplos.

* Leia também no Casa Saudável: Hospital Português promove amanhã (8/8) ação educativa no Dia Nacional de Controle do Colesterol

Campanha deste ano da Sociedade Brasileira de Cardiologia chama atenção para a prevenção das taxas altas de colesterol na infância

Colesterol é uma substância importante que auxilia na formação de parte das células do corpo e também de alguns hormônios. Ele é produzido em nosso organismo, mas também o adquirimos pela alimentação, especialmente pela ingestão de alimentos gordurosos. Em excesso no sangue, o colesterol forma placas de gordura que podem danificar os vasos, o que dificulta a passagem do sangue. Esse processo é chamado de aterosclerose e pode causar vários problemas cardiovasculares.

Para alertar em relação a esse problema, o Brasil promove várias ações amanhã (8/8), no Dia Nacional de Controle do Colesterol. Entre as atividades, está a palestra Dislipidemia e Alimentação Saudável, que será promovida pelo Ambulatório de Beneficência Maria Fernanda do Real Hospital Português (RHP), no Recife, em parceria com a Sociedade Brasileira de Cardiologia/Seccional Pernambuco (SBC/PE).

O objetivo da ação, que começa às 8h, no Real Hospital Português, é mostrar a importância do controle dos níveis de colesterol na população adulta e infantojuvenil. “As crianças receberão um enfoque especial porque a incidência de problemas cardíacos tem crescido bastante nessa faixa etária”, diz a cardiologista Fátima Buarque, que coordena o evento no RHP.

(Clique aqui e baixe a cartilha da SBC, que orienta sobre o cuidado e a atenção com o colesterol, na infância)

Na ocasião, serão distribuídas cartilhas educativas que mostram a importância de se prevenir a taxa irregular de colesterol para afastar os riscos de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, responsáveis por 29,4% de todas as mortes registradas no País anualmente. Isso significa que mais de 300 mil pessoas faleceram, principalmente decorrente do infarto e do acidente vascular cerebral (AVC). Ou seja, são 820 mortes por dia, 30 mortes por hora ou uma morte a cada 2 minutos

O evento no RHP contará também com a presença da preparadora física do Real Corpore, Suzana Feitosa Rocha, e da nutricionista Elizabete Rivera. Mais informações: 81 3416-1370.

* Leia também no Casa Saudável: Cerca de 20% das crianças e dos adolescentes têm níveis elevados de colesterol

Atitudes simples, como prática regular de exercício físico, são parte do controle da diabetes (Foto: stock.xchng)

Nunca se debateu tanto sobre os caminhos capazes de frear a epidemia da diabetes, que acomete cerca de 371 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, aproximadamente 10 milhões de pessoas têm a enfermidade. E o Rio de Janeiro e São Paulo estão entre as seis capitais com maior percentual de casos de diabetes no País, segundo o Ministério da Saúde.

Recentemente, os habitantes de ambas as cidades foram consultados para uma pesquisa realizada pela farmacêutica Abbott, em parceria com a Sociedade Brasileira de Diabetes. O estudo mostrou que 62% dos entrevistados apresentam ao menos um fator de risco para o desenvolvimento da doença.

E mais: somente 30% dos participantes da pesquisa já ouviram falar em pré-diabetes: uma condição que, embora seja favorável ao desenvolvimento da diabetes e de outros problemas de saúde, pode ser reversível através de mudanças no estilo de vida.

Outro cenário apresentado pelo levantamento é que as pessoas com pré-diabetes e diabetes geralmente não mudam o estilo de vida, como alertado pelos médicos. Mais de 45% desconhecem a importância de atitudes simples (controle de peso e prática regular de exercícios) como parte do controle do problema.

A maioria dos profissionais de saúde pesquisados no Brasil destacou as mudanças de hábitos alimentares como o fator número um de sucesso para o controle da pré-diabetes e da diabetes. Para 60% dos pacientes entrevistados, contudo, esse é o passo mais árduo de ser incorporado à rotina.

O estudo foi conduzido em São Paulo e no Rio de Janeiro, com três painéis online conduzidos pela Nielsen, em nome da Abbott. O painel 1 (306 entrevistados) incluiu a população em geral, entre 18 e 64 anos, considerando cidade, idade, sexo. O painel 2 (306 entrevistados) incluiu pacientes com diabetes de 18 a 64 anos, considerando cidade, idade, sexo e tipo de paciente (com pré-diabetes ou com diabetes tipo 2). O painel 3 (80 entrevistados) contemplou médicos clínicos gerais e endocrinologistas.

campanha pela sade
Todas as informaes apresentadas neste blog esto disponveis com objetivo exclusivamente educacional. Dessa maneira, nosso contedo no pretende substituir consultas mdicas, realizao de exames e tratamentos mdicos. Sempre que tiver uma dvida, no deixe de conversar com o seu mdico, que o profissional mais adequado para esclarecer todas as suas perguntas. E nunca se esquea de que o direito informao correta essencial para a preveno e o sucesso do tratamento. E mais: o contedo editorial do Casa Saudvel no apresenta relaes comerciais com possveis anunciantes e patrocinadores do blog.